Volumes de SAF crescem, mas ainda faltam oportunidades







Volumes de SAF crescem, mas ainda faltam oportunidades


 – A Associação do Transporte Aéreo Internacional (IATA) anunciou as estimativas para a produção de combustível sustentável de aviação (SAF).

  • Em 2023, os volumes de SAF atingiram mais de 600 milhões de litros (0,5 tonelada), o dobro dos 300 milhões de litros (0,25 tonelada) produzidos em 2022.
  • O SAF representou 3% de todos os combustíveis renováveis produzidos, com 97% da produção de combustíveis renováveis indo para outros setores.
  • Em 2024, a produção de SAF deve triplicar e atingir 1,875 bilhões de litros (1,5 toneladas), representando 0,53% do combustível necessário para a aviação e 6% da capacidade de combustível renovável. A pequena percentagem da produção de SAF em relação ao combustível renovável total se deve principalmente à nova capacidade que entrará em vigor em 2023 e que será atribuída a outros combustíveis renováveis.

“A duplicação da produção de SAF em 2023 foi encorajadora, assim como a esperada triplicação da produção esperada para 2024. Mas mesmo com esse crescimento impressionante, o SAF, como parte de toda a produção de combustíveis renováveis, crescerá apenas de 3% neste ano para 6% em 2024. Esta alocação limita a oferta de SAF e mantém os preços elevados. A aviação precisa de 25% a 30% da capacidade de produção de combustíveis renováveis alocada para o SAF. Nesses níveis, a aviação estará no caminho certo para atingir zero emissão líquida de carbono até 2050. Até que esses níveis sejam alcançados, continuaremos perdendo grandes oportunidades para avançar na descarbonização da aviação. É a política governamental que fará a diferença.. Os governos devem priorizar políticas para incentivar o aumento da produção de SAF e diversificar as matérias-primas além das disponíveis localmente”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.
 

Resultados da CAAF/3

A 3ª Conferência sobre Combustíveis Alternativos para a Aviação (CAAF/3), promovida pela OACI – Organização da Aviação Civil Internacional, definiu uma estrutura global para promover a produção de SAF em todas as regiões para que os combustíveis usados na aviação internacional apresentem uma redução de 5% na quantidade de carbono até 2030 em relação ao combustível utilizado atualmente. Para atingir esse nível, será necessária a produção de cerca de 17,5 bilhões de litros (14 toneladas) de SAF.
 

“Os governos querem que a aviação atinja zero emissão líquida até 2050. Com o estabelecimento da meta provisória na 3ª CAAF, agora eles precisam fornecer políticas que possam promover o aumento exponencial necessário da produção de SAF”, disse Walsh.

  • A questão não é a demanda: cada gota de SAF produzida foi comprada e utilizada. Na verdade, o SAF movimentou 756 milhões de dólares e um total recorde do combustível em 2023. Pelo menos 43 companhias aéreas já se comprometeram a usar cerca de 16,25 bilhões de litros (13 toneladas) de SAF em 2030, e mais acordos são anunciados regularmente.
  • Aumentar o fornecimento para atender à demanda é o desafio que precisa ser resolvido: as projeções apontam para a produção de mais de 78 bilhões de litros (63 toneladas) de combustíveis renováveis em 2029. Os governos devem criar políticas que incentivem os produtores de combustíveis renováveis a atribuir 25-30 % da sua produção para o SAF, permitindo atingir a meta estabelecida na CAAF/3, as metas de políticas regionais e nacionais e os compromissos das companhias aéreas.

Objetivos das políticas

Incentivos eficazes à produção de SAF devem apoiar os seguintes objetivos:

  • Acelerar os investimentos em SAF de empresas petrolíferas tradicionais,
  • Garantir incentivos à produção de combustíveis renováveis para obter quantidades suficientes de SAF,
  • Chamar a atenção dos stakeholders para a diversificação regional de matérias-primas para a produção de SAF,
  • Identificar e priorizar projetos de produção de alto potencial para investimento,
  • Fornecer uma estrutura global para a contabilização do SAF.

Promover a diversificação

Cerca de 85% das instalações de produção de SAF que entrarão em operação nos próximos cinco anos usarão a tecnologia de hidrotratamento (HEFA), que utiliza gorduras animais não comestíveis (sebo), óleo de cozinha usado e graxa industrial como matéria-prima. Quantidades limitadas destes produtos exigem políticas para:

  • Diversificar a produção de SAF, aumentando a produção usando os métodos já certificados, em particular o Alcohol-to-Jet (AtJ) e Fischer-Tropsch (FT), que utilizam biorresíduos e resíduos agrícolas.
  • Promover investimentos e aceleração da certificação para novos métodos de produção de SAF atualmente em fase de desenvolvimento.
  • Identificar mais matérias-primas potenciais para alavancar todas as tecnologias de SAF e fornecer diversificação e opções regionais, incluindo alternativas com benefícios colaterias, como a restauração ambiental.

Apoio dos passageiros

Uma pesquisa recente da IATA mostrou apoio significativo dos passageiros ao SAF. Cerca de 86% dos viajantes concordaram que os governos deveriam fornecer incentivos à produção para que as companhias aéreas pudessem ter acesso ao SAF. Além disso, 86% concordaram que o fornecimento de SAF às companhias aéreas deveria ser uma prioridade para as empresas petrolíferas.

  • A IATA (International Air Transport Association) representa cerca de 320 companhias aéreas, que compõem 83% do tráfego aéreo global.
  • Siga-nos no Twitter para verificar anúncios, posicionamentos e outras informações úteis sobre o setor.
  • Programa Fly Net Zero.

Cristina Lira Turismo

Cristina Lira - graduada em Comunicação Social-Jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB) é baiana e radicada em Natal (RN), com cidadania portuguesa. Trabalha há mais de 20 anos com o turismo e adora o que faz: escrever, viajar e prestar varios serviços no segmento. Em 2008, criou o blog www.turismocristinaliranatal.blogspot.com, um sucesso, que migrou para o site www.cristinalira.com (Turismo por Cristina Lira). "Desde 2011, organiza o Encontro dos Profissionais do turismo com Cristina Lira (RN), em Natal e que já aconteceu em 7 cidades do Brasil , em Portugal e na Itália. O evento reúne empresários, profissionais do turismo e jornalistas para um momento de aprendizado e network. O próximo pode ser em sua cidade!. Neste espaço divulga as news do turismo do Brasil e do mundo. Confira e mande sua sugestão!