FUMIN apoia produção de bioenergia no Norte do Brasil

Caroço de açaí será utilizado na produção de energia renovável no estado do Pará
Um projeto piloto de US$ 2 milhões apoiado pelo Fundo Multilateral de Investimentos, membro do Grupo BID, ajudará famílias de baixa renda no Pará envolvidas no processamento do açaí a se tornarem fornecedores de usinas de biomassa.
O açaí é uma fruta típica da região amazônica e faz parte da dieta básica da população dessa região. Entretanto, em anos recentes, essa fruta se tornou um ingrediente popular em suplementos vitamínicos e bebidas. O maior produtor é o estado do Pará e a maior parte do processamento do açaí ocorre na capital do estado, em Belém do Pará. O caroço da fruta é geralmente descartado nas ruas da cidade, na rede de esgoto e nos rios.
O projeto ajudará a instituir uma rede de produtores de polpa de açaí e catadores de lixo, que coletarão os caroços de açaí não utilizados, procurando criar uma indústria ligada à produção de biomassa que seja comercialmente viável, sustentável e inclusiva e que contribua para a redução da poluição causada pelo despejo ilegal do caroço e bagaço da fruta.
Esta rede fornecerá o caroço para a VBA-Açaí, empresa que transformará caroços de açaí embriquetes, para que sejam aproveitados na produção de energia. A VBA-Açaí é a subsidiária brasileira da World Wide Recycling, empresa sediada na Holanda reconhecida pelo seu modelo de tratamento de resíduos sustentável.
“Essa abordagem inovadoraserá capaz detransformar um crescente problemaambiental emuma oportunidade de negócio verde”, disseLorenaMejicanosRíos, chefe da equipedo projeto no FUMIN. “Esperamos que este projeto inspire a cultura da reciclagem eofereça lições importantes para iniciativas semelhantes em toda a América Latina e no Caribe”.
O projeto fornecerá assistência técnica e capacitação para cooperativas de catadores de material reciclável e desenvolverá e implementará um plano logístico que inclui a criação de estações de coleta e transporte do material para VBA-Açaí. O projeto gerará novas oportunidades de renda para 2.400 produtores de polpa e 360 catadores de resíduos (a maioria mulheres) e contribuirá para a criação de 65 novos postos de trabalho na VBA-Açaí.
Além disso, o projeto pretende ser inserido no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo ou em outros programas alternativos de certificação de carbono, criando fluxos adicionais de renda para processadores de açaí e catadores de lixo por meio da venda de créditos de carbono. O projeto mitigará a mudança climática ao reduzir a geração de metano, evitando a emissão de pelo menos 234 mil toneladas métricas de dióxido de carbono equivalente nos 10 primeiros anos.
O projeto será executado pelaVAR do Brasil Ambiental, associação sem fins lucrativos criada por iniciativa da VBA-Açaí, a subsidiária brasileira da empresa holdandesa Wolrd Wide Recycling, da e pela ICCO, organização não-governamental holandesa de cooperação para o desenvolvimento.

Sobre o FUMIN
Criado em 1993 como parte do grupo BID, o Fundo Multilateral de Investimentos desenvolve abordagens efetivas para apoiar o crescimento econômico e a redução da pobreza por meio de ações de desenvolvimento capitaneadas pelo setor privado para o apoio a micro, pequenas e médias empresas, beneficiando os pobres – seus negócios, suas propriedades agrícolas e seus domicílios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.