A maior Festa da Colônia da história

 A 23ª edição da festa teve sol durante os 18 dias de 
programação e público estimado em 300 mil pessoas.
Encerrou oficialmente neste domingo, em Gramado, a maior Festa da Colônia de todos os tempos. A 23ª edição do tradicional evento da região das hortênsias foi um sucesso absoluto de público durante todos os dias de festa. Nesses 18 dias de intensa programação cultural e gastronômica, estima-se que cerca de 300 mil pessoas, entre comunidade e visitantes, tenham passado pelo centro de eventos ExpoGramado, onde a festa foi realizada.
A presidente da Festa da Colônia e secretária de Turismo de Gramado, Rosa Helena Volk, confirma o sucesso da celebração: “Fico muito feliz pelo imenso sucesso alcançado por esta festa que é a mais querida e democrática de Gramado. Com toda a certeza foi a maior Festa da Colônia de todos os tempos. São Pedro nos ajudou com o tempo bom durante todos os dias de evento”, ressaltou.
festa da colonia.25.04
A Festa da Colônia teve início no dia 11 de abril e terminou oficialmente neste domingo (28). Foram 18 de dias de muito sol e temperatura agradável, fator que contribui diretamente para o sucesso de público. “Está bastante movimentado esse ano, até me surpreendi com tantas pessoas no último dia de festa. O sol, com certeza, foi um dos principais motivos. O local da festa e o estacionamento amplo também ajudaram”, explicou Carolina Bertoglio, moradora de gramado, e frequentadora assídua da festa.
Ao longo desse período de celebração, muitas atrações ocorreram no local do evento, com destaque para o Desfile de Carretas, que agitou a comunidade durante dois finais de semana da festa.  As 56 carretas puxadas por bois partiram do centro de eventos Expogramado, percorrendo a Avenida Borges de Medeiros até o centro da cidade. Aproximadamente 12 mil pessoas acompanharam o desfile, no último sábado.
festa.28-04.pec
O comparecimento em peso do público surpreendeu, até mesmo, os comerciantes. Na feira de produtos coloniais muitos itens esgotaram em poucos dias de evento.
Exemplo disso foi a geléia de mirtilo, novidade este ano na festa. Cerca de 700 vidros do produto foram vendidos durante o evento, só na banca da família Wagner, da linha Quinze. A família conta que foi preciso preparar uma porção extra do produto para suprir a demanda. “A geléia de mirtilo acabou no domingo passado. No mesmo dia tivemos que largar tudo e voltar em casa para preparar mais. Não esperávamos tantas pessoas este ano e uma procura tão grande pelo produto”, explica uma das comerciantes da família.
No espaço da família Cavichion, da linha Furna, o produto mais vendido foi o suco de uva. Cerca de 900 garrafas foram comercializadas durante o evento, o que representa, segundo a família, um acréscimo de 30% em relação ao ano anterior.
Na banca da família Pereira, de linha Marcondes, as cervejas caseiras “Nossa Versão” despertaram a curiosidade dos presentes, e, quem quis experimentar o produto teve que correr para encontrá-lo nas prateleiras. Diferente das cervejas tradicionais, as bebidas fabricadas pela família utilizam açúcar de beterraba, mel ou açúcar mascavo na fase de produção chamada “carbonatação”. Todas as 596 cervejas de carbonatação especial produzidas já tinham sido vendidas até o segundo domingo da festa. A família explica que uma produção industrial pequena garante uma extrema qualidade ao produto, mas promete novidades para o próximo ano. “Ainda não posso revelar, mas estamos testando um produto novo. Se tudo der certo, ano que vem estará à disposição do público”, destacou um dos comerciantes.
Na Bier Platz, os bolinhos de batata e aipim fizeram a alegria do público. No espaço da linha Quilombo, cerca de 15 mil bolinhos de batata foram vendidos, 5 mil a mais que a edição anterior da festa. Este ano a novidade no espaço da família foi o “grôstoli”, massa com açúcar e canela, semelhante à tradicional “cueca virada”. Neste primeiro ano de vendas o doce também fez grande sucesso.
Mesmo no último dia de festa, o público novamente compareceu em peso. Milhares de pessoas circularam pelo ExpoGramado e puderam aproveitar os últimos instantes da celebração. O movimento intenso permaneceu até as 22 horas, quando a banda Tannewald encerrou a festa com chave de ouro.
A 23ª edição da Festa da Colônia teve o patrocínio máster da Brahma, patrocínio da Famastil, Caixa, Sulgás e Sierra, co-patrocínio da Cooperativa Piá e apoio da ANP e Citral.

Assessoria de Imprensa – Insider2