Boa Viagem por Cristina Lira

Informativo digital do mundo do turismo

Notícias

Xangai promove evento que celebra a cultura chinesa no Brasil

Chefe da delegação chinesa defendeu candidatura da cidade-irmã como sede da Expo 2020, em abertura de exposição da Semana de Xangai
No dia 13 de setembro, uma delegação de chineses veio ao Brasil para promover sua cultura em São Paulo. Na ocasião da abertura da Semana de Xangai e da exposição “O Charme de Xangai – Retratos de Xangai”, o vice-diretor do gabinete municipal de imprensa da cidade chinesa recebeu os convidados para uma noite que apresentou peculiaridades do folclore chinês, falou das relações entre as duas maiores cidades dos países do BRIC e apoiou a candidatura da capital para sede da Expo 2020.
E São Paulo ganha mais apoio um importante apoio para sua candidatura como sede da Expo 2020. “Estamos felizes e vamos apoiar essa candidatura. Como já sediamos a Expo Mundial em 2010, sabemos da visibilidade que o evento gera para a cidade e para o país. Além dos aspectos econômicos e culturais, a Expo Mundial deixa um legado importante para sua sede, em termos de infraestrutura, algo muito positivo para nossa cidade-irmã”, afirmou Zhu Yonglei, vice-diretor do Gabinete de Imprensa do Governo Popular de Xangai.
Sr. Zhu completou dizendo que “vem gente do mundo inteiro para conhecer a cidade e visitar o evento. Como tem duração de seis meses, é tempo suficiente para que a influência de uma exposição dessa proporção seja maior que de uma Copa ou as Olimpíadas para seus visitantes, que são eventos de curto prazo”. Na edição de 2010, Xangai recebeu 73 milhões de visitantes  e apresentou ao público o tema “Cidade Melhor, Vida Melhor”. A Expo Xangai, teve um pavilhão dedicado apenas a cidade de São Paulo
Yonglei salientou ainda que “a escolha do tema é um dos fatores mais importantes para a decisão da sede, pois a World Expo é a oportunidade da cidade mostrar suas melhores experiências para os visitantes e também aprender com os outros países participantes”.  Xangai recebeu essa importante feira das nações que reuniu 190 países, 50 instituições internacionais e empresas, às margens do Rio Huangpu.
São Paulo e Xangai são cidades muito semelhantes. Ambas são os maiores centros industriais de seus países e estão na lista das maiores cidades do mundo. Com o intuito de fortalecer o relacionamento comercial e cultural entre si, reforçado pela assinatura do tratado como cidades irmãs há dez anos. Um exemplo foi a assinatura de um tratado de fomento ao Turismo, assinado no mesmo evento, na edição de 2011.
São Paulo concorre com quatro outras cidades, todas em países emergentes: Ayutthaia (Tailândia) e Izmir (Turquia), Dubai (Emirados Árabes) e Ekaterinburg (Rússia) com o projeto que dá destaque para a “diversidade cultural, de povos, raças e religiões que convivem em harmonia” na cidade. A próxima Exposição Universal será realizada em Milão, Itália, em 2015
O bicentenário da imigração chinesa traz um dado interessante. No início, houve “um pico de imigração e agora vamos chegar a um número próximo a 240 mil chineses no Brasil. Há dois tipos de imigração bem diferentes. Há 200 anos, eram agricultores trouxeram as técnicas de agricultura, como o plantio de chá. Agora, os imigrantes trazem sua habilidade no comércio, na tecnologia e em outros setores. E, claro, também na área de cultura”, conclui Sr. Yonglei.
“O Charme de Xangai – A Cultura de Xangai no Brasil”
Como parte da comemoração do bicentenário da imigração chinesa no Brasil, a cidade de Xangai desembarcou pela segunda vez em São Paulo por meio de eventos, obras e manifestações artísticas que representam sua cultura e fortalece as relações entre São Paulo e Xangai, cidades consideradas irmãs desde 1988, e a da exposição “Retratos de Xangai”.
Diferente da primeira edição quando foram apresentadas fotos da cidade no Centro Cultural de São Paulo, Xangai realizou uma exposição de pinturas de artistas chineses e estrangeiros Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado (MAB-FAAP), aberta e gratuita ao público entre os dias 14 e 19 de setembro no Mezanino, Prédio I, e exibiu mais de 40 obras de arte que tem como tema central a cidade de Xangai, cidade-irmã de São Paulo.
Durante a cerimônia, os participantes puderam ver performances de artistas a realizar recortes de papel, bonecos de massa e o peculiar bordado de Gu, feitos com linha de ceda que tomam forma de uma pintura e demora cerca de um ano para cada peça ficar pronta. Essas representações do folclore chinês são parte do patrimônio da cidade que a Prefeitura faz um trabalho de preservação através da divulgação do trabalho dos artistas pelo mundo.
Além das manifestações culturais da cidade chinesa e da exibição de obras de arte apoiadas pelo Centro de Arte de Massa de Xangai e o Instituto de Pintura e Caligrafia de Xangai, foi realizada a doação de livros, com a participação da Biblioteca de Xangai, como parte do projeto “Janelas de Xangai” – um programa que distribui publicações sobre a cultura chinesa que está presente em mais de 100 países no mundo. Essas atividades ofereceram ao público brasileiro a oportunidade de aprender sobre a cultura chinesa e promoveram a experiência de vivenciar o charme de Xangai bem de perto.
Autoridades chinesas e brasileiras se reuniram para acompanhar o mestre de cerimônias, o senhor Xu Wei, diretor-geral adjunto do Gabinete de Imprensa do Governo Popular de Xangai, e as apresentações da ocasião. Américo Fialdini Júnior, diretor da FAAP, Li Shaoyu, presidente da Associação Chinesa do Brasil, e Zhu Yonglei, líder da delegação de Xangai são alguns dos convidados que celebraram o encontro de ambas as culturas.
“A relação entre as duas cidades que atualmente está cada vez mais próxima, tanto na economia quanto no intercâmbio cultural. Fazemos parte do BRIC e o desenvolvimento econômico e cultural tanto do Brasil quanto da China, contribui para o crescimento mundial” finalizou o vice-diretor.


Boa Viagem por Cristina Lira