Turismo por entre nos trilhos

GT analisa 50 projetos de implantação
de trens turísticos e culturais

O Grupo de Trabalho de Turismo Ferroviário, reunido nesta terça (17), no Ministério do Turismo, discutiu o planejamento estratégico para 2012. Uma das primeiras medidas do ano será definir os projetos de trens turísticos e culturais que serão implementados nos próximos meses.

A expectativa é de que, ainda este ano, novos trechos entrem em operação, aumentando a oferta de atrativos turísticos nas diversas regiões do País. “Vamos definir quais projetos poderão ser desenvolvidos mediante concessão de bens móveis (vagões, mobiliários) e imóveis (estações) da extinta Rede Ferroviária Federal (RFFSA) e aporte de recursos públicos”, explicou o diretor do MTur e coordenador do GT, Ricardo Moesch.

O GT Ferroviário tem sob análise, no momento, cerca de 50 projetos de prefeituras e entidades privadas sem fins lucrativos. Número que poderá ser ampliado à medida em que os projetos em carteira forem sendo implantados.

Instalado em 2010, o GT conseguiu reunir em um mesmo fórum todos os órgãos envolvidos com questões relacionadas ao transporte ferroviário. Isso facilitou a identificação e a seleção dos projetos que tramitavam em diferentes órgãos públicos. Uma das primeiras medidas adotadas pelo GT foi a criação de uma cartilha para orientar a preparação e apresentação de proposta de implantação e exploração de trens turísticos.

O GT Ferroviário tem como atribuição desenvolver uma política de fomento do turismo ferroviário no País nos segmentos de trens turísticos e culturais. A finalidade é recuperar, requalificar e preservar trechos o patrimônio ferroviário.

Integram o grupo, representantes do Ministério dos Transportes, da Secretaria do Patrimônio da União (SPU), Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), BNDES e inventariança da Rede Ferroviária Federal (RFFSA), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) além de representantes de entidades de classes do setor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.