“Senac será parceiro importante no aeroporto de São Gonçalo”, afirma executivo do Consórcio Inframérica.

Em almoço realizado nesta terça, 4.10, executivos do grupo vencedor do leilão estiveram com lideranças empresariais do RN

Um almoço promovido hoje (04.10) pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do estado (Fecomercio RN), no Restaurante Abade, colocou frente a frente as principais lideranças empresariais do Rio Grande do Norte e os representantes do Consórcio Inframérica (composto pela paulista Engevix e a argentina Corporación America), vencedor do leilão para construção e operação do aeroporto de São Gonçalo do Amarante.
“Tivemos aqui a oportunidade de ouvir os representantes do consórcio e de nos colocarmos à disposição para que esta obra saia do papel da forma mais rápida e da maneira mais proveitosa para o estado, para as empresas e para a sociedade potiguar”, disse o presidente do Sistema Fecomercio RN e anfitrião do almoço, Marcelo Fernandes de Queiroz.
O executivo Antonio Droghetti Neto, que vai assumir a coordenação das atividades do consórcio aqui no Rio Grande do Norte, fez questão de ressaltar que é de total interesse do grupo firmar parcerias com instituições e empresas locais. “Queremos deixar claro, de forma detalhada, exatamente do que precisamos para que possamos atender também às exigências da Infraero. Mas é prioritariamente daqui que sairão nossa mão-de-obra, nossos fornecedores e nossos parceiros”, afirmou ele.
Droghetti; que estava acompanhado do vice-presidente do Grupo Engevix, Wilson Vieira; e do diretor executivo, Gerson de Mello; além de representantes do Corporación America; fez questão de citar o Senac RN, braço de qualificação de mão-de-obra do Sistema Fecomercio, como parceiro primordial no processo de operação do novo aeroporto. “O Senac é uma instituição que certamente vai contribuir bastante na capacitação de boa parte da mão-de-obra que vamos precisar nas diversas etapas desta parceria que estamos iniciando agora com o Rio Grande do Norte”, disse Droghetti.
“Esta lembrança do Senac nos enche de orgulho. Sabemos que é o reconhecimento de todo um trabalho de décadas na formação e qualificação de mão-de-obra. Estamos completamente à disposição para seguirmos dando nossa contribuição para a melhoria da qualidade de vida do povo potiguar através da oportunização de trabalho e, consequentemente, de renda”, disse o presidente Marcelo Queiroz.
Além de Queiroz, participaram do almoço, entre outras lideranças, o vice-presidente da Fiern, Amaro Sales; o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae RN; Silvio Bezerra; o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado; o deputado estadual Poti Júnior; o secretário de Desenvolvimento Econômico do estado, Benito Gama; e o empresário Sérgio Azevedo.

Documentos
Sobre o recurso administrativo do Consórcio Aeroportos Brasil (Grupo MPE, que disputou ferrenhamente a concessão com o consórcio Inframérica) contra o resultado do leilão para a concessão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, os executivos da Engevix se mostraram tranqüilos.
“O que está sendo questionado são detalhes burocráticos. Documentos ligados ao sócio argentino do consórcio. Acontece que alguns documentos solicitados aqui não tem equivalentes lá e vice-versa. Mas já apresentamos as nossas contrarrazões e estamos confiantes de que na sexta-feira, 7 de outubro, a Anac vai julgar a nosso favor”, afirmou o executivo.
Depois de suplantada esta fase, o próximo passo será a homologação do Inframérica para tocar as obras e a operação do aeroporto, ato que está previsto para o dia 22 de novembro.
O almoço de hoje também serviu para acertar maiores detalhes sobre a participação dos representantes do consórcio Inframérica na próxima edição do projeto “Motores do Desenvolvimento”, promovido pela Fecomercio e Fiern, em parceria com o jornal Tribuna do Norte. O seminário, que terá o superaeroporto como tema, está marcado para o dia 28 de novembro.

O Leilão
O leilão do aeroporto, que ocorreu em 22 de agosto na sede da BM&FBovespa, em São Paulo, foi marcado por uma disputa acirrada entre quatro consórcios: o Aeroportos Brasil (composto pela empresas MPE e Instituto de Transportes Aéreos do Brasil); consórcio ATP Contratec (composto pelas empresas Triunfo e FCC Construction); consórcio Aeroleste Potiguar (componentes não divulgados) e consórcio Inframérica, que venceu a licitação.
Dos quatro, dois seguiram para o leilão de viva voz, a última fase da disputa: Aeroportos Brasil, com lance inicial de R$75 milhões, e o Inframérica, com lance inicial de R$132,5 milhões. O Aeroportos Brasil, liderado pelo Grupo MPE, chegou a oferecer R$166 milhões pela concessão. Entretanto, o Inframérica deu lance de R$170 milhões e arrematou o aeroporto. O valor oferecido foi três vezes maior que o mínimo estabelecido para o leilão (R$ 51,7 milhões).
O valor a ser aplicado não para por aí. O vencedor da licitação terá de desembolsar cerca de R$650 milhões para concluir o aeroporto. Em contrapartida, poderá ‘explorar’ os terminais durante 28 anos, sendo três anos dedicados a conclusão. O aeroporto de São Gonçalo do Amarante é o primeiro a ser incluído no plano de privatização. As obras de infraestrutura básica, como drenagem e as pistas, vêm sendo executadas pelo Exército. A Infraero já investiu cerca de R$ 155,7 milhões na obra. As pistas de pouso, decolagem e taxiamento já estão prontas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.