TURISMO NÁUTICO DEBATIDO PELA FECOMÉRCIO DO RN E CÂMARA DE TURISMO

O turismo náutico, seu potencial e as formas de explorá-lo respeitando os critérios de sustentabilidade ambiental, econômica e social.Este foi o foco do seminário sobre turismo náutico promovido pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do estado (Fecomercio RN), através da sua Câmara Empresarial do Turismo hoje no hotel escola Senac Barreira Roxa.

O simpósio “Turismo Náutico, Conciliando Desenvolvimento e Sustentabilidade” teve como palestrantes o presidente do Instituto Rumo Náutico e Projeto Grael, Axel Grael Schimidt; uma das maiores autoridades em turismo náutico sustentável do país; e o Coordenador Geral de Serviços Turísticos do Ministério do Turismo, Ricardo Moesch.

Axel Grael fez uma palestra excelente apresentando números do turismo náutico quanto a implantação, planejamento e resultados. Em sua palestra sobre a importância da atividade do turismo náutico, Grael falou da importância não só como gerador e renda para o estado, mas quanto ao potencial educacional do setor. Ele citou que existem várias ilhas do Caribe que vivem do turismo náutico. Também citou o exemplo da Nova Zelândia que tem o turismo náutico muito forte e a Argentina, que embora tenha condições climáticas inferior ao Brasil,consegue ter bons resultados neste segmento.
A grande dificuldade é a falta de regulamentação do setor, disse ele.”As dificuldades são imensas para chegar no Brasil, muitas taxas e impostos”, enfatizou Grael.No debate participaram o arquiteto Francisco Soares Junior, diretor do Igetur, que também citou o caso de Punta Del Este, como forte potencial no turismo náutico .E o turismo náutico do RN ainda aquém em relação a estados como Bahia, Ceará e até a Paraíba.

“Em todo o país há uma percepção de que precisamos explorar melhor este filão do turismo, sobretudo pelas nossas características geográficas. No caso do Rio Grande do Norte, então, onde temos 420 Km de costa que ainda é tão pouco explorada. Estamos falando de um verdadeiro manancial de oportunidades”, disse George Gosson, coordenador da Câmara Empresarial de turismo da Fecomércio-RN e também vice presidente da ABIH-RN. .
Marcelo Queiroz faz questão de pontuar que criar as condições para a exploração do turismo náutico em Natal e no RN é mais uma oportunidade de se diversificar o leque de opções do turismo. “Hoje estamos cada vez mais deixando de ser apenas um destino de sol e mar. Já temos o turismo de eventos, que é bem pujante, e o turismo dos grandes complexos imobiliários do nosso litoral. O turismo náutico se soma a estas opções, garantindo a ampliação da base desta atividade que é tão importante para nossa economia”, diz ele.
Além do foco nos turistas que chegam ao estado em grandes cruzeiros, o turismo náutico se caracteriza por focar no turista que vem visitar o destino em sua própria embarcação. São turistas do próprio Brasil ou mesmo de outros países. “No caso dos turistas que vêm de muito longe, hoje eles passam ao largo de Natal porque aqui não temos uma estrutura onde eles possam realizar manutenção, abastecer suas embarcações com combustível e mantimentos, enfim. Estamos deixando, literalmente, as oportunidades passarem por nós. Por isso é importante darmos início a esta discussão de uma forma mais ampla e responsável”, diz George Gosson.

O evento contou com a presença das principais lideranças do trade turistico do RN, Francisco Barbosa, vice-presidente da Emprotur, representando a governadora Rosalba Ciarlini, a presidente da ABAV-RN, Ana Carolina Costa, entre outros .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.