Sustentabilidade do Estádio do Dragão, da cidade do Porto, foi apresentada aos natalenses

Numa palestra realizada na tarde desta quinta-feira (30), o engenheiro Luís Silva, responsável por projetar o Estádio do Dragão, em Portugal, mostrou como o local pode ser utilizado para diversas finalidades. O tema da palestra foi “Infraestruturas Desportivas Sustentáveis”. A arena do Dragão é um estádio de futebol localizado na cidade do Porto, propriedade do Futebol Clube do Porto, com capacidade para 51 mil pessoas. Ele foi construído para substituir o velho Estádio das Antas que abriu as portas em 1952.

“Começamos a pensar o Estádio em 1998. Foram dois anos de estudo para se chegar ao projeto final. Em 2000 foi firmado o acordo com as empresas responsáveis pela obra, que teve início em 2001”, explicou o engenheiro. A arena foi inaugurada em 2003. Foram dois anos e meio de construção. O investimento foi de R$ 300 milhões. Em 2004 o Estádio do Dragão recebeu a Eurocopa, o maior evento de futebol do continente europeu.

A estrutura tem 10 pisos, sendo três de estacionamento para mais de mil veículos, e foi planejada para atender, além dos jogos de futebol, a diferentes finalidades. O estádio serve para eventos culturais, congressos, encontros, festa para crianças, entre outras atividades. O local também tem uma área destinada a comércio e serviço, como clínicas médicas, que funcionam diariamente, inclusive nos dias em que acontecem jogos.

O Estádio do Dragão possui instalações com tecnologia de ponta, como os sistemas de sonorização e de segurança. “Também utilizamos a estrutura do estádio como espaço publicitário. Todos esses eventos permitem que o local seja auto-sustentável” explicou Luís silva.

A palestra teve o objetivo de mostrar para toda a população de Natal a importância de ser construída uma arena esportiva e quais benefícios serão conseguidos através dela. “A Secretaria de Estado do Esporte e do Lazer irá promover várias palestras como esta para trazer informações à população sobre eventos ligados à Copa do Mundo”, disse o secretário Joacy Bastos. “No caso da Arena das Dunas, não basta construir a catedral. Temos que achar meios para dar sustentabilidade a esta catedral e, ao mesmo tempo, proporcionar ao atleta apoio, conforto e tecnologia”, concluiu o secretáriio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.