Secretário de Turismo do Ceará, Bismark Maia em entrevista exclusiva para o blog Cristina Lira

Secretário de Turismo do Ceará, Bismark Maia em entrevista exclusiva para o blog Cristina Lira
Em entrevista exclusiva a esta jornalista, blogueira, o secretário de Turismo do Ceará, Bismark Maia, fala das ações de marketing no turismo de um dos estados que mais cresce e aposta no setor.Bismark também defende que o congresso da ABAV que acontece todo ano no Rio seja itinerante. Leia na íntegra a entrevista:

Cristina Lira -O que o Ceará tem feito para atrair turistas para a alta temporada?

Bismark Maia- Esta pergunta representa muito bem a situação atual do nosso turismo: setor público e privado conformam-se com ganhos na alta e empate na baixa. O Nordeste precisa do turismo o ano todo, precisamos de prioridade ao setor , inovação na promoção e marketing de nosso destino, e grandes investimentos na infraestrutura pública criando produtos novos e atrativos

Cristina Lira -Quantos turistas em média por ano recebe e qual destino emissor nacional e internacional?

Bismark Maia – Hoje, o Ceará recebe aproximadamente 2,7 milhões por ano. Os maiores destinos emissores internacionais são: Itália, Portugal, Espanha e França. Emisores nacionais: São Paulo, Rio de Janeiro,Distrito Federal e Pernambuco.

Cristina Lira – Qual o orçamento que o Ceará tem para investir na promoção e marketing para 2012?

Bismark Maia -Temos investido a partir de 2008

, em média, 28 milhões de reais por ano. O Ceará é o estado que mais investe diretamente no turismo e, mesmo assim, ainda é pouco para o que será necessário a partir da super infraestrutura turística que teremos nos próximos dois anos.

Cristina Lira – O Ceará promoveu uma grande festa no congresso da ABAV este ano reunindo empresas de eventos. O senhor pretende fazer outras ações como esta em outras capitais do país ou em outras feiras internacionais?

Bismark Maia . A economia mudou. A comercialização de produtos e destinos turísticos também. Nossa prioridade são ações diretas ao público. Nosso objetivo é fazer com que os conterrâneos brasileiros tenham sempre o Ceará em seu imaginário positivo para que, em qualquer oportunidade, optem e venham ao nosso Estado.

Cristina Lira – Qual o primeiro segmento do turismo que mais cresceu no Ceará?

Bismark Maia -Com o fortalecimento que estamos dando a outros destinos (afora Fortaleza), o setor de turismo de aventura e prática de esporte cresce em percentuais significativos. Com o Centro de Eventos novo, este setor ficará na ponta.

Cristina Lira- Como o senhor analisa a questão do congresso da ABAV ser no Rio, o senhor acha que poderia ser itinerante, e quais estados poderiam receber esses congressistas oferecendo infra-estrutura hoteleira, transportes e alimentação a preços acessíveis a esta categoria?

Bismark Maia – Venho defendendo desde muito tempo que a feira da Abav deve se renovar. A itinerância é fundamental para sua oxigenação. Ela tem que ir, por exemplo, para São Paulo em um ano, e a uma outra região noutro ano, desde que as cidades preencham um caderno de encargos previamente definidos e comum à todas candidatas.O Rio sediar a cada dois ou três anos é bom para essa capital ,de todos nós, e para a propria Abav. Por outro lado, os seus organizadores de hoje ainda não se deram conta que vivemos uma nova economia. O modelo atual, o mesmo de 30 anos atrás, esta superado em termos de aproveitamento comercial para quem dela participa.

Cristina Lira – E quanto a Copa do Mundo, como estão as obras no Ceará?

ismark Maia -O Ceará cumpre de forma adiantada o dever de casa: o estádio e o veículo leve sobre trilhos, são nossos compromissos. Agora, com as novas infraestruturas de estradas, novos aeroportos, Acquario e Centro de Eventos, teremos um ganho suplementar com esse megaevento.

Cristina Lira -Qual a expectativa em torno da copa , em torno dos visitantes ao Ceará e seus atrativos turísticos?

Bismark Maia -Uma cidade que é escolhida como subsede passa a ganhar a partir dessa escolha. Já estamos colhendo frutos também após a garantia de jogos do Brasil na Copa das Confederacões e na própria Copa, aqui em Fortaleza que foi bastante privilegiada. A Copa em si será uma grande alta estação com a diferenca que teremos altíssima visibilidade e um perfil do turista diferente, a maioria internacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.