Pesquisa vai identificar o perfil do turista que visita Foz do Iguaçu

Quem é o turista que visita a Terra das Cataratas? Quantos milhões de visitantes o destino recebe por ano – além de quase 1,4 milhão contabilizado na entrada do Parque Nacional? Qual o grau de satisfação dos mesmos com relação aos atrativos, serviços e equipamentos turísticos oferecidos? Quanto a hospitalidade, o povo iguaçuense sabe receber bem o visitante? Essas e 22 outras questões serão feitas aos turistas que visitam Foz do Iguaçu, cidade mundialmente conhecida como uma das Sete Maravilhas da Natureza.
O Estudo da Demanda Turística em Foz do Iguaçu é considerado inédito em vários aspectos, principalmente, por se a primeira pesquisa realizada abrangendo três temporadas (baixa, média e alta) conforme orienta a Organização Mundial do Turismo – OMT.
Outro fator que chama a atenção é a maneira que está sendo executada. A iniciativa foi idealizada pela Secretaria Municipal de Turismo (SMTU) em parceria com a Secretaria Estadual de Turismo (SETU-PR), Fundação Parque Tecnológico de Itaipu (FPTI), Instituto Polo Internacional do Iguassu (POLOIGUASSU) com apoio do Fundo Iguaçu.
A primeira etapa da pesquisa, abrangendo os visitantes de “media temporada”, começou ontem, 29, e segue até segunda, 05. A segunda etapa ocorrerá em março de 2012 – mês considerado de baixa temporada. A última fase será realizada em julho de 2012, durante a alta estação do Destino Iguaçu.
“Os pesquisadores utilizarão um questionário, aplicado no momento em que os visitantes estiverem a caminho da cidade de origem, permitindo que eles opinem com precisão sobre os atrativos, serviços e equipamentos turísticos”, explicou o secretário de Turismo, Felipe Gonzalez, após acompanhar o treinamento dos acadêmicos.
A equipe técnica que esta á frente da pesquisa é formada por profissionais da Secretaria de Turismo e pela SETU-PR. Eles terão o apoio dos técnicos da FPTI e POLOIGUASSU. Ao todo 40 pessoas, entre profissionais das instituições e acadêmicos de Turismo e Hotelaria, com domínio dos idiomas inglês e espanhol, participam da iniciativa.
“Os acadêmicos selecionados para a realização da coleta dos dados receberam treinamento específico da Assessoria Técnica e Coordenação de Planejamento Turístico – CPTU da Secretaria Estadual de Turismo”, enfatizou o técnico estadual, Marino Antonio Lacay.
Serão entrevistados seis mil visitantes, uma média de dois mil em cada uma das fases das coletas de dados. Os entrevistadores estarão nos seguintes pontos: Praça de Pedágio da Rodovia BR 277 (Acesso à Foz do Iguaçu); Rodoviária Internacional de Foz do Iguaçu; Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu/Cataratas; Ponto Internacional da Amizade (BR/PY); e Ponte Internacional Tancredo Neves (BR/AR).
“Os dados são indispensáveis ao aprimoramento e atualização das acoes estratégias estruturantes e mercadológicas já a partir do próximo ano de 2012, uma vez que servirão de instrumento de identificação e resultados alcançados pelo modelo de gestão integrada no turismo local”, reforçou a diretora de Desenvolvimento do Turismo, Rosa Maria Corbari Maccali.
A última pesquisa de demanda turística nacional realizada pela Secretaria de Estado do Turismo (SETU-PR) em Foz do Iguaçu foi em 2008 e a pesquisa internacional em 2009, executada pela EMBRATUR. Atualmente, são esses os dados mais atualizados que a cidade dispõe sobre a demanda turística.
“O Estudo da Demanda Turística de 2011/2012 conta com um status de consenso entre as instituições parceiras e o trade, sendo de extrema relevância para o futuro do turismo local ao possibilitar a geração de dados novos e confiáveis sobre o consumidor que busca Foz do Iguaçu e a Região Trinacional. Estes dados representam uma condição indispensável para se desenvolver um planejamento turístico com ações focadas em resultados concretos”, finalizou Rosa, responsável pelo projeto da pesquisa.(Foto

: Assessoria Secretaria de Turismo/AMN)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.