Paraná possui mais de 1,4 mil startups que geram 12 mil empregos

Mesmo com a pandemia, número de startups mapeadas cresceu 39% em relação a 2019, aponta levantamento realizado pelo Sebrae/PR
O Paraná possui atualmente 1.434 startups que geram mais de 12 mil empregos em 87 cidades, o que torna o estado um dos principais ecossistemas de inovação do Brasil. Os números do Mapeamento das Startups Paranenses 2020/2021, do Sebrae/PR, foram divulgados nessa terça-feira (09/02), em evento digital transmitido ao vivo.Esse total representa um aumento de 39% (402 novas empresas) em relação ao último levantamento realizado em 2019. Mesmo com a pandemia, 374 novas startups foram criadas apenas em 2020, número que apresenta um crescimento contínuo desde 2015 e, sendo o maior desde 2014, quando a apuração foi iniciada. Além disso, 685 empresas (47,7%) ainda possuem menos de dois anos de operação.“Esse crescimento expressivo demonstra o potencial do Paraná para atrair investimentos e gerar a ofertas de produtos e serviços diferenciados, mesmo em meio a uma crise. As startups são empresas que podem gerar alto impacto em todas as cadeias produtivas, o que contribui para a geração de novos empregos, renda e inovação”, destaca o diretor de Operações do Sebrae/PR, Júlio Cezar Agostini.Nos últimos anos, o Paraná passou a ter dois unicórnios (empresas com valor de mercado de mais de US$ 1 bilhão): a plataforma de pagamentos Ebanx, em novembro de 2019, e a plataforma de venda de móveis e materiais de construção MadeiraMadeira, em janeiro de 2021. O Paraná está entre os quatro estados brasileiros com unicórnios no país, ao lado de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.A sétima edição do levantamento feito pelo Sebrae/PR anualmente para mapear o ecossistema de inovação paranaense, contou com a participação de representantes de 1.434 startups para o levantamento, entre os dias 5 e 27 de novembro de 2020. O estudo completo pode ser conferido neste link (https://www.sebraepr.com.br/startup-mapeamento/).Confira um resumo sobre os perfis das startups paranaenses:SetoresEspecialmente por conta da preocupação com a saúde, foram criadas 35 novas startups de saúde e bem-estar em 2020. O setor, que conta com 121 empresas, é o segundo com mais startups no estado, perdendo apenas para aquelas relacionadas ao agronegócio, com 141. Ao todo, as startups estão divididas em 28 verticais e segmentos, além da categoria “outros”.LocalizaçãoEm relação à localização, o estudo apontou que Curitiba é a cidade com mais startups, com 422; seguido de Londrina, com 180; Pato Branco, com 126; Maringá, com 105; e Cascavel, com 89. O estudo aponta ainda que cerca de dois terços do total de startups não estão na capital ou próximas a ela, com destaques para as regiões Norte e Sul do estado. Ao todo, 87 dos 399 municípios paranaenses registaram pelo menos uma startup.Perfis e empregos geradosO estudo traz ainda outras segmentações sobre os perfis daqueles que fundaram as startups paranaenses. Em relação à idade, 62,5% têm entre 26 e 40 anos e 77,3% são homens. Além disso, 74,3% delas contam com até 5 funcionários e 37,9% possuem sede própria, enquanto outros 35,7% exercem as atividades dentro de suas próprias casas.Em relação aos postos de trabalho, as startups empregam 12.056 pessoas no Paraná, sendo que 2.918 delas estão trabalhando nas 10 empresas que mais geram empregos (8 em Curitiba e Região Metropolitana e 2 em Ponta Grossa e Maringá). Além disso, embora a Regional Leste (Curitiba e região e litoral) concentre 31% das startups do estado, em relação aos empregos gerados essa porcentagem sobe para 59,1% (7.189 trabalhadores).Investimentos e faturamentoEntre as empresas entrevistadas, 298 (20,8%) disseram que já receberam algum tipo de investimento. Ao todo, 142 receberam um investimento-anjo, 92 participaram de programas de aceleração e 77 receberam capital-semente (séries A, B e C). Se forem considerados também os investimentos feitos pelos próprios fundadores, o número de respostas vai para 631 startups. Dessas, 400 receberam investimentos de até R$100 mil e 129 delas entre R$100 e R$500 mil.Em relação ao faturamento, 473 empresas (40,8% do total de respondentes) não possuem faturamento e 251 startups (21,6%) faturam até R$81 mil (teto do microempreendedor individual). Além disso, há 127 startups com faturamento até R$ 4,8 milhões e 35 negócios com faturamento superior a essa quantia. Por conta disso, são enquadradas como médias e grandes empresas.Mais conteúdosAlém do detalhamento sobre os números gerais, o levantamento também aponta pequenos perfis e realiza análises sobre os ecossistemas de inovação de cada uma das seis regionais do estado: Leste, Norte, Sul, Oeste, Noroeste e Centro.O material apresenta ainda startups destaques para ficar de olho: 16 empresas que foram vencedoras do StartupPR Conecta Awards, prêmio entregue durante o Conecta 2020, além de quatro finalistas do programa Capital Empreendedor, do Sebrae Nacional. 

Cristina Lira Turismo

Cristina Lira - graduada em Comunicação Social-Jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB) é baiana e radicada em Natal (RN), com cidadania portuguesa. Trabalha há mais de 20 anos com o turismo e adora o que faz: escrever, viajar e prestar serviços de assessoria de imprensa no segmento. Em 2008, criou o blog www.turismocristinaliranatal.blogspot.com, um sucesso, que migrou para o site www.cristinalira.com (Turismo por Cristina Lira). "Desde 2011, organiza o Encontro dos Profissionais do turismo com Cristina Lira (RN), em Natal e que já aconteceu em 7 cidades do Brasil , em Portugal e na Itália. O evento reúne empresários, profissionais do turismo e jornalistas para um momento de aprendizado e network. O próximo pode ser em sua cidade!. Neste espaço divulga as news do turismo do Brasil e do mundo. Confira e mande sua sugestão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.