“Operação Fronteira” leva segurança às divisas de quatro Estados

A “Operação Fronteira”, deflagrada à meia-noite de ontem e concluída às 5 horas desta segunda-feira (29), planejada pelas polícias do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Ceará, levou mais segurança às divisas desses Estados e mostrou, mais uma vez, a união das autoridades da Segurança Pública no combate à criminalidade.

O subsecretário da Segurança Pública e da Defesa Social do Rio Grande do Norte, Airton Ferraz, participou do trabalho, que resultou, na área do Rio Grande do Norte, na abordagem a 80 automóveis/utilitários, 27 motocicletas, 208 pessoas e na apreensão de um revólver calibre 38 e de um veículo tipo Vectra.

A arma foi apreendida entre o Rio Grande do Norte e o Ceará, sendo um homem autuado em flagrante delito. O Vectra, que tinha queixa de roubo, foi localizado na barreira policial montada entre São Mamede (PB) e São João do Sabugi (RN), no distrito de Ipueira. O relatório da Operação será entregue a Airton Ferraz nesta terça-feira (30).

A integração entre as polícias é uma importante ferramenta para o combate, principalmente, às quadrilhas interestaduais que agem praticando assaltos, arrombamentos de caixas eletrônicos, roubos de veículos e tráfico de drogas.

As barreiras foram montadas nos seguintes pontos:

Baraúna (RN) / Russas (CE) – RN 015

Tibau (RN) / Icapui (CE) – RN 013

Distrito de Palma (Caicó) / Várzea (PB) – RN 118

São Miguel (RN) / Pereiro (CE) – RN 177

Distrito de Ipueira (RN) / São Mamede (PB) – RN 118

Alexandria (RN) / Bom Sucesso (PB) RN 079

Policiais civis e militares dos quatro Estados participaram da “Operação Fronteira”, que terá novas edições, como forma de manter freqüente a presença policial nas divisas. Para o secretário de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social do RN, Aldair da Rocha, esse tipo de diligência é importante para mostrar à sociedade que ela tem policiais determinados, organizados, que atuam a partir de planejamentos que nascem da necessidade de agir em regiões onde o índice de criminalidade é maior. “Os serviços de inteligência das polícias, os dados da nossa Subcoordenadoria de Estatística e Análise Criminal e reuniões que temos mantido com policiais dos Estados vizinhos é que embasam essas Operações”, explica o secretário.

Da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, participaram homens dos 2º, 6º e 7º Batalhões, comandados pelo coronel Francisco Reinaldo de Lima, do Comando de Policiamento do Interior. Os policiais civis envolvidos na Operação estavam sob a supervisão do Diretor de Polícia do Interior, delegado José Carlos de Oliveira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.