Turista conectado é a nova realidade nos destinos de viagem  

 

Cartilha traz dicas práticas para agências de viagem sobre como desenvolver ações inovadoras para aprimorar a prestação de serviços  

 

Inovação é a palavra-chave para o desenvolvimento de serviços inteligentes que atraiam consumidores interessados em experiências sensoriais e inesperadas. No setor de turismo, essa estratégia é praticamente uma exigência. Para orientar os pequenos negócios do segmento, especialmente as agências de viagem, o Sebrae lança uma cartilha com dicas práticas sobre como melhorar a prestação de serviços, investindo em inovação. O lançamento será no dia 10 de novembro, em Gramado (RS), durante a Feira Internacional de Turismo (Festuris), um dos maiores eventos do setor no país. 

A publicação, intitulada “Destino Sebrae: A Jornada do Turista Conectado – Agências de Turismo”, explora bastante o uso de plataformas e aplicativos que facilitem a pesquisa de destinos, preços e o compartilhamento de informações, entre outros itens. A cartilha está dividida em três capítulos: pré-viagem, viagem e pós-viagem. Para cada uma dessas fases, o Sebrae apresenta os seguintes tópicos: perfil do turista conectado; o que ocorre com o turista; exemplos de facilitadores da experiência; dicas para os destinos turísticos; e dicas para as agências. 

As orientações do Sebrae estão baseadas no conceito de Turismo Inteligente, baseado em quatro grandes eixos: Tecnologia, Governança, Experiências Turísticas e Sustentabilidade. “Ser inteligente significa usar a tecnologia como aliada e como facilitadora das experiências turísticas. Estamos falando de uma tecnologia que se torne imperceptível, por ela fazer com que tudo funcione bem e de forma integrada”, avalia a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes. 

Por esses aspectos, o Sebrae considera essencial o investimento em inovação, para que a empresa sobreviva em um mercado tão competitivo e com variados players digitais. “Faz parte do negócio estudar esse mercado, ficar antenado a novas tendências e usar ferramentas contemporâneas e modernas, que simplificam processos e agradam turistas”, afirma Heloisa. Para ela, a questão central é entender como a inovação tecnológica pode favorecer os negócios, já que o uso de tecnologias digitais tornou-se uma rotina no mercado. 

O setor de turismo é um dos mais importantes do Brasil. De acordo com o governo federal, o turismo é a atividade do setor terciário que mais cresce no Brasil. Em 2016, movimentou R$ R$ 530,5 bilhões, conforme os dados divulgados pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC). O impacto do turismo na economia brasileira deverá alcançar R$ 739 bilhões, ou 9,1% do PIB, em 2027 – e empregar 8,91 milhões de pessoas no país. 

Experiências – Diversos setores tradicionais estão sendo forçados a repensar os modelos de negócios em função dos avanços tecnológicos. E as agências de viagens são fortemente impactadas por essa tendência. “Mais do que vender viagens, elas precisam vender sonhos, experiências. E acompanhar como esses sonhos e experiências são vividos, compartilhados, lembrados e, principalmente, se são recomendados e se servem para inspirar potenciais clientes. Por isso, as agências precisam conhecer e atuar em toda a jornada do turista, ou seja, antes, durante e na pós-viagem”, conclui Heloisa.

SEBRAE 45 ANOS

O Sebrae comemora este ano quatro décadas e meia de atuação em defesa dos pequenos negócios. As micro e pequenas empresas representam 98,5% do total de empreendedores no Brasil, respondem por 27% do Produto Interno Bruto (PIB) e geram mais da metade dos empregos no país. Formalização, inovação, redução da burocracia, ampliação do acesso ao crédito e melhoria do ambiente legal fazem parte do compromisso do Sebrae com os pequenos negócios. Conheça no portal Sebrae os números e a história do empreendedorismo no Brasil:

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae.

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »