SAIBA COMO FUNCIONA OS PROCESSOS DE BOLSAS EM UNIVERSIDADES DO ESTADOS UNIDOS

 

 

Especialista da CI explica as diferenças nas análises dos candidatos e como

o aluno pode encontrar a melhor instituição

 

Ingressar em uma universidade no exterior é, atualmente, um dos muitos planos dos jovens brasileiros. O caminho para alcançar esse objetivo pode ser cheio de obstáculos e exige perseverança para superar essas barreiras.

 

Um desses empecilhos é relacionado à questão financeira. Na maioria das vezes, o investimento é a maior preocupação para quem pretende se aventurar a estudar em outro país. Com o objetivo de viabilizar o ingresso de estudantes estrangeiros e superar esse problema é que as instituições de ensino superior dos EUA oferecem muitas opções de bolsas de estudos. E, para ajudar a entender as diferenças delas, o Diretor de Admissão da CI Universidades, Humberto Costa, explica sobre cada uma das oportunidades oferecidas pelas universidades.

 

Para quem pretende se graduar em outro país as possibilidades de bolsas são estruturadas para atender aos diferentes perfis de estudantes. “Para dar início a este projeto, o ideal é fazer uma boa pesquisa que leve em consideração a instituição, os valores e os objetivos profissionais (cursos). Em seguida, estruturar um planejamento que oriente o jovem no caminho que leve ao apoio financeiro necessário e a realização do seu sonho”, comenta, Humberto Costa.

 

Ao escolher a universidade, o estudante precisa entender plenamente o modelo de admissão. No exterior, a necessidade financeira tem grande relevância na hora da seleção do candidato e compreender as diferenças entre os tipos de bolsas oferecidos ajudará o candidato a perceber que as notas, as pontuações nos testes, os trabalhos voluntários e as respostas ensaiadas são apenas uma parte do processo para ingressar na escola desejada.

 

Um conceito de admissão nas universidades do exterior, que pode deixar os candidatos confusos são os processos de seleção need blind e need-aware. E é preciso esclarecer alguns pontos para que o futuro universitário aproveite as melhores possibilidades de bolsas nos EUA.

 

Se a instituição escolhida seguir o modelo need-aware, também conhecido como need-sensitive, a faculdade levará em consideração o status financeiro do estudante. Um comitê avaliador verificará a necessidade do candidato no processo de admissão e, se aprovado, dará apoio total ao novo aluno. Geralmente, elas possuem programas específicos para ajudar os estudantes de baixa renda a ingressar na faculdade. Nesses casos, o número de bolsas destinadas a intercambistas varia de instituição, tornando a competição mais acirrada entre os estrangeiros.

 

Quando se trata do modelo de need-blind, a renda não é considerada, o que é uma ótima opção aos candidatos internacionais. Essas instituições fornecem ajuda financeira aos estudantes de acordo com a necessidade demonstrada, em alguns casos, dando um auxílio que cobre 100% as despesas do candidato.

 

“É importante entender que essa cobertura total significa que a universidade montará um pacote e atenderá a carência do aprovado, podendo incluir uma bolsa estudantil, trabalho com o estudo e até mesmo empréstimo estudantil, no qual o estudante terá que pagar de volta o valor emprestado”, explica Humberto.

 

Outro ponto importante são os tipos de bolsas de estudos oferecidas pelas universidades no exterior. A CI – Universidade, pode ajudar a encontrar a melhor opção para o estudante. Entre as muitas opções, há as Bolsas de Mérito, recebidas pelas notas do candidato, por um interesse especial no curso escolhido ou talento especifico; as Bolsas para Atletas, que são uma das mais conhecidas e dadas aos esportistas de alto nível que, em troca, tem uma formação rigorosa que equilibra estudos e o esporte. Além dessas, as instituições podem oferecer bolsa para grupos específicos, como étnicos. Para quem planeja se graduar nos Estados Unidos essas são excelentes oportunidades para se formar no exterior sem grandes custos.

 

Sobre a CI

A CI – Intercâmbio e Viagem – foi criada em 1988, na cidade de São Paulo. Em 28 anos de história, a agência já expandiu para 19 estados brasileiros, além do Distrito Federal, com mais de 100 unidades contratadas. Ao longo da sua história, a empresa foi responsável pelo embarque de mais de meio milhão de clientes para o exterior. Só em 2015, foram cerca de 70 mil pessoas embarcadas. A CI trabalha com experiências internacionais únicas, seja para estudo, trabalho ou turismo. Cursos no Exterior, High School, Intercâmbio Teen, Trabalhar e Estudar e Mochilão são os programas mais procurados, principalmente, entre jovens com idades entre 13 e 35 anos. A CI também possui um mundo de experiências com as unidades de negócios que fazem parte do grupo, como a CI Experience Brazil, responsável pelos programas incoming – que trazem estrangeiros para o Brasil; a Amaze, empresa especializada em viagens para estudantes do Ensino Fundamental e Médio; a Amaze Sports; a CI Universidades; a CI Seguros; e a CI Vistos. A empresa foi  eleita cinco vezes, pela Revista Viagem e Turismo, como a melhor empresa de intercâmbio do Brasil e também recebeu o  prêmio Top of Mind Datafolha, por ser a  empresa de  intercâmbio mais lembrada pelos paulistanos. Além de ter ganho três vezes o Top Educação e duas vezes o ST Star Awards.

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »