NOVAS REGRAS DE BAGAGEM SINALIZAM REAL TENDÊNCIA DE QUEDA NOS PREÇOS DAS PASSAGENS AÉREAS

 

Há uma real tendência de queda nos preços das passagens aéreas desde que a desregulamentação da franquia da bagagem entrou em vigor, em meados de junho. Levantamento da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), com dados preliminares colhidos entre junho e o início de setembro, mostra que a tarifa teve queda entre 7% e 30%, entre companhias aéreas que já implementaram a nova regra.

 

A parcela dos passageiros que viajam sem bagagem varia de 60% (AZUL), 63% (LATAM) a 65% (GOL)Eles optam por classes tarifárias até 30% mais baratas do que as que dão direito a um volume de até 23 kg. No caso da GOL, houve aumento de 50% no volume de viajantes que não despacham bagagem, em relação ao mesmo período do ano passado, o que corresponde a 1 milhão de bilhetes já vendidos com a nova tarifa. A LATAM calcula que mais de 900 mil passageiros já voaram com tarifas mais baixas. A AVIANCA, por sua vez, ainda não implementou as novas regras de bagagem.

 

“Na medida em que de fato os preços caem, abrimos espaço para ampliar a concorrência e a disputa, além de incluir mais passageiros e permitir, inclusive, a retomada de voos cujos custos ficaram inviáveis pela queda de passageiros que tivemos no ano passado”, afirma o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz. “Quando houve a desregulamentação dos preços das passagens aéreas, em 2002, tínhamos 30 milhões de passageiros. Saltamos para 100 milhões em 2015. Nesse período, a tarifa caiu cerca de 50%, mas no ano passado 8 milhões de brasileiros deixaram de viajar de avião por conta da crise”, acrescenta ele.

 

Sanovicz lembra, ainda, que o Projeto de Resolução do Senado (PRS 55/2015), que limita o teto de ICMS sobre o querosene de aviação (QAV) em 12%, que vai gerar novos voos e desenvolvimento econômico em todo o país, segue em tramitação no Senado.

 

Tarifa média mais baixa da história 

O Relatório de Tarifas Aéreas da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), divulgado na terça-feira, mostra tarifa aérea média doméstica real (corrigida pela inflação) de R$ 323,62, a mais baixa da série histórica do órgão regulador, iniciada em 2002.

 

No entanto, esse levantamento ainda não mostra o impacto das novas regras de bagagem, cujos primeiros dados colhidos entre junho e o início de setembro estão a seguir:

 

 

AZUL

 

Rota Valor Valor Variação (%)
  Julho/2016 – R$ Julho/2017 – R$  
Brasília-Recife 814,64 501,98 -38,40
Campinas-Natal 673,60 406,04 -39,70
Campinas-Manaus 923,66 714,93 -22,60
Campinas-Porto Seguro 600,81 357,53 -40,50
Campinas-Maceió 558,50 441,92 -20,90

 

 

 

GOL

 

Rota Tarifa Programada Tarifa Light Variação (%)
  21 jun – 11 set/2016 – R$ 21 jun – 11 set/2017 – R$  
Congonhas-Santos Dumont 316,88 296,41 -6,50
Congonhas-Recife 423,51 373,05 -11,90
Congonhas-Salvador 374,55 333,35 -11,00
Brasília-Santos Dumont 393,64 358,06 -9,00
Guarulhos-Salvador 332,16 285,66 -14,00
Guarulhos-Santos Dumont 231,77 209,83 -9,50
Guarulhos-Recife 375,34 314,61 -16,20
Galeão-Salvador 303,92 211,59 -30,40

 

 

 

LATAM

 

Rota Tarifa Média Tarifa Média Variação (%)
  Agosto/2016 – R$ Agosto/2017 – R$  
Brasília-Recife 379,00 253,00 -33,00
Guarulhos-São Luís 487,00 384,00 -21,00
Porto Seguro-Confins 334,00 233,00 -30,00
Brasília-Galeão 301,00 203,00 -32,00
Galeão-São Luís 476,00 378,00 -20,00
Galeão-Foz do Iguaçu 373,00 284,00 -24,00
Congonhas-Palmas 337,00 265,00 -21,00
Galeão-Recife 340,00 256,00 -25,00

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »