HIGH SCHOOL NO REINO UNIDO: O QUE SE DEVE SABER SOBRE O ENSINO NA REGIÃO

 

 

Especialista da CI – Intercâmbio e Viagem e diretor geral da Abbey College falam das diferenças do ensino médio no Brasil e na Inglaterra

Ter uma educação de qualidade é um fator importante na hora de ingressar em uma universidade de renome. É no ensino médio que o aluno começa a se preparar para entrar no mundo acadêmico, e esse é um bom momento para fazer um período de High School no exterior. Mas, é importante entender algumas diferenças entre a educação no Brasil e em outros países para aproveitar bem a experiência.

A Inglaterra, por exemplo, tem um dos melhores sistemas educacionais do mundo, porém, é preciso entender como funciona o ensino no país para tirar o melhor proveito. A especialista da CI – Intercâmbio e Viagem, Letícia Ceccon, e o diretor da Abbey College, Antony Kay, comentam os principais pontos que podem causar dúvida na hora de fazer um High School em uma escola inglesa.

O estudante pode seguir dois caminhos no ensino médio no Reino Unido, existem os currículos A-Levels e o IB. “Assim que entram no ensino médio, aos 16 anos, os alunos fazem um exame nacional, o GCSE, que encaminha para uma das duas opções. O currículo A-Levels é voltado para preparar os jovens a ingressarem em uma universidade, já o IB tem como objetivo desenvolver a área vocacional, e é um diploma reconhecido internacionalmente por várias universidades”, explica Letícia.

O curso A-Levels é um dos pontos fortes da Abbey College, nova parceira de ensino da CI. No modelo, os estudantes escolhem de três a quatro matérias para começar a se qualificar para entrar em uma das cinco melhores universidades da Inglaterra. “O sistema educacional do Reino Unido é um passaporte para grandes universidades. Ele é ótimo para universidades do Reino Unido, mas também para outras instituições de ensino ao redor do mundo”, comenta Antony Kay.

Outra diferença do High School no Reino Unido, é que os programas de ensino são mais flexíveis e personalizados, focados em desenvolver as habilidades que o estudante definir. “Como as grades curriculares dos estudantes são montadas de acordo com os gostos e as escolhas do mesmo, é importante o intercambista entender que, para validar o High School no Brasil, é necessário ter na grade que for montar as seguintes matérias exigidas pelas escolas brasileiras: Matemática, Inglês, Ciências, Estudos Sociais e Educação Física”, alerta Leticia Ceccon, gerente de produtos da CI.

Uma prática comum na Inglaterra é enviar os filhos para fazer o high school no sistema boarding school, nesses casos os estudantes ficam em acomodações dentro da própria escola. “A Abbey School é um dos exemplos das tradicionais instituições que usam esse modelo que acomoda os alunos 100% do tempo dentro da instituição.  A excelente estrutura dos colégios também ajuda no desempenho e crescimento acadêmico dos estudantes, ao disponibilizar laboratórios de última geração, salas inteligentes, instalações seguras e ginásios de esportes”, comenta Leticia.

Summer School Medicine Program

Um dos programas de destaque da parceria da CI com a Abbey College é o Summer School Medicine Program, que demonstra a relevância desse preparo prévio para entrar em uma universidade. Todo o programa é projetado para que os alunos adquiram habilidades acadêmicas e reforcem seus conhecimentos para se tornar um bem cotado candidato nas faculdades. “Basicamente, os professores irão ensinar a parte técnica para ingressar em uma universidade de medicina. O que deve ser dito numa entrevista, o que os entrevistadores querem ouvir para identificar se o candidato está apto a entrar numa graduação de medicina”, explica o Antony.

“É importante para quem pretende fazer um ano de High School na Inglaterra se atentar a sua agenda escolar, devido a Europa começar as aulas em setembro, bem diferente do Brasil. Ainda é possível fazer apenas um semestre, assim não precisa se preocupar com o início do ano letivo, porque pode começar tanto em setembro como em janeiro. Uma ótima vantagem é que o estudante consegue validar este período nas escolas brasileiras”, conclui Leticia Ceccon.

Saiba mais sobre as opções de curso no site www.ci.com.br.

Sobre a CI

A CI – Intercâmbio e Viagem – foi criada em 1988, na cidade de São Paulo. Em 28 anos de história, a agência já expandiu para 19 estados brasileiros, além do Distrito Federal, com mais de 100 unidades contratadas. Ao longo da sua história, a empresa foi responsável pelo embarque de mais de meio milhão de clientes para o exterior. Só em 2015, foram cerca de 70 mil pessoas embarcadas. A CI trabalha com experiências internacionais únicas, seja para estudo, trabalho ou turismo. Cursos no Exterior, High School, Intercâmbio Teen, Trabalhar e Estudar e Mochilão são os programas mais procurados, principalmente, entre jovens com idades entre 13 e 35 anos. A CI também possui um mundo de experiências com as unidades de negócios que fazem parte do grupo, como a CI Experience Brazil, responsável pelos programas incoming – que trazem estrangeiros para o Brasil; a Amaze, empresa especializada em viagens para estudantes do Ensino Fundamental e Médio; a Amaze Sports; a CI Universidades; a CI Seguros; e a CI Vistos. A empresa foi eleita cinco vezes, pela Revista Viagem e Turismo, como a melhor empresa de intercâmbio do Brasil e também recebeu o prêmio Top of Mind Datafolha, por ser a empresa de intercâmbio mais lembrada pelos paulistanos. Além de ter ganho três vezes o Top Educação e duas vezes o ST Star Awards.

 

Categories: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »