EMBRATUR AVALIA QUE AÉREAS DE BAIXO CUSTO VÃO AQUECER MERCADO

Presidente do Instituto, Vinicius Lummertz, junto ao secretário de Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, participa de ações na França para incrementar o fluxo de turistas ao Brasil

Presidente da Embratur, secretário do Ceará e equipes em reunião na Embaixada

O presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinicius Lummertz, não tem dúvidas quanto a importância da entrada em cena das empresas aéreas de “low cost” (equivalente em inglês a baixo custo) para alavancar o turismo internacional m direção ao Brasil. Nesta terça-feira (14), em Paris, Lummertz esteve com o secretário de Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, na Embaixada do Brasil na França, para definir detalhes das ações que serão desenvolvidas para alavancar a procura pelo novo voo que a Air-France, em parceria com a KLM e a Gol, colocará à disposição do público a partir de maio de 2018. Serão cinco voos por semana, direto de Paris e Amsterdã para Fortaleza e, dali, distribuindo para várias cidades do Norte e Nordeste, São Paulo e Brasília. O custo da passagem até Fortaleza ficará em torno de 800 dólares, bem abaixo dos atuais preços do mercado.

“Estamos inaugurando uma nova fase, a do low cost de verdade no Brasil. Teremos voos também de Madri para Recife. Enfim, vamos ter mais concorrência e isso só vai beneficiar o turismo internacional”, comentou Lummertz. Ele acredita, ainda, que com a aprovação, pelo Congresso, do projeto que prevê aumento da participação de estrangeiros no capital das aéreas (atualmente é 20%, mas poderá chegar a 100%), o que deve ocorrer ainda este ano, a situação tende a ficar ainda melhor. A Embratur tem feito contatos com outras empresas de baixo custo, em especial europeias, para mostrar o potencial do mercado brasileiro.